1 dia na Neve – Chile

Não vou mentir para vocês, meu objetivo ao ir pro Chile era ver neve pela primeira vez. Talvez, hoje, Chile seja o jeito mais prático e barato para ter o primeiro contato com a neve.  O resto foi bônus. O resto veio de brinde. Vou contar para vocês a minha experiência, lá vai!

Escolhendo a estação

Simplificando, nas montanhas próxima a capital Santiago existem basicamente 4 estações de Ski: Farellones, El Colorado, Valle Nevado e La Parva. As mais turísticas são Valle Nevado e Farellones, seguida por El Colorado e por último La Parva que quase ninguém lembra que existe (e portanto bem menos badalada).

Eu tinha muita certeza que queria ir para Farellones porque meu objetivo não era praticar ski, nem snowboard. Por mais que as estações tenham aulas (e acredite as aulas são necessárias, se não você não vai saber nem como calçar o negócio), você não aprende muito em um dia. Se não for tipo um sonho ou uma vontade muito forte, na minha opinião não vale a pena (lembre-se que vc vai dar um dinheirão tanto na aula quanto no aluguel do equipamento).

Se algum dia eu quiser aprender Ski ou Snowboard (que eu acho que é mais a minha vibe) prefiro fazer uma viagem mais específica para isso. As estações funcionam como resorts, você também pode se hospedar lá e ser feliz.

Mas eu queria mesmo era brincar, fazer boneco de neve, deitar na neve, essas coisas. Para meu objetivo, eu aproveitaria mais Farellones porque lá tem atividades para não skiantes, como tirolesa, tubing (é um tubo que você escorrega pela neve e depois você é içado para cima para descer de novo e de novo e de novo…), dentre outras.

com o bonhequinho de neve
Tentativa de bonequinho de neve

Para quem não vai skiar (nem praticar snowboard), não há muito o que fazer nas outras estações. Primeira dificuldade: encontrar empresa que fizesse o transporte de Santiago para Farellones. A maior parte dos serviços oferece um passeio combinado: Valle Nevado + Farellones. O que na minha cabeça era uma coisa estúpida. Por que eu iria perder o tempo que eu poderia estar brincando em Farellones para ir a Valle Nevado só olhar…?

Escolhendo a empresa

Não há como ir de transporte público e se você não tiver experiência com direção na neve e montanhas extremamente curvilíneas, colocar correntes nos pneus, dirigir não compensa. O melhor é contratar alguém que faça o transporte. Quando eu fui tinha a opção de ir de UberSki (mas que eu descartei porque aparentemente não levava a Farellones).

Depois de garimpar a internet inteira, encontrei a All To Ski, cujo dono é brasileiro, onde trabalham muitos brasileiros, resolve-se tudo em português, uma beleza. Ofereciam o tal do transporte que eu queria por um preço comparativamente bom. O chato dessa companhia é que não tem um esquema de pagamento ou reservar online você tem que ir lá pessoalmente fazer isso (se deixar reservar no próprio dia, estará sujeito a lotação). Contornei essa inconveniência indo lá, depois almoçando no Pátio Bellavista e seguindo para o Cerro San Cristóbal. É tudo pertinho.

Eu não tenho nenhuma ressalva negativa para fazer da All To Ski, assim eu só fiquei um pouquinho assustada quando ao subir a montanha o micro-ônibus derrapou um pouco na pista com neve, fiquei com a sensação de que o motorista deveria ter colocado as correntes nas rodas antes. Fora isso, nada a reclamar. Mas eu não aluguei nada com eles, lá na loja deles você pode alugar equipamentos para ski, snowboard, roupas próprias para neve, etc. Não sei se prestam porque não usei nada. Mas até hoje não vi ninguém reclamar também.

Imprevisto

Só que eu não contava com uma coisa. Toda essas estações estão na mesma montanha. A mais embaixo é Farellones, eu já sabia disso, até por isso escolhi ela, pois a pista para as estações tem muitas curvas. E são curvas tensas, curvas de 180 graus. Elas inclusive são numeradas, Farellones fica na curva 40 (e olha que é a mais baixa). Eu enjoo muito. Enjoo até subindo a serra para Petrópolis, então quanto menos tivesse que subir, melhor pra mim. Imagine ir a Vale Nevado que é a mais alta, cruzes!

Só que chegando lá para fazer a reserva os funcionários me informaram que Farellones já estava praticamente sem neve. Parece que esse ano foi uma temporada fraca. Eu, extremamente desconfiada, não acreditei muito. Achava que ele tava querendo me empurrar outra coisa. O funcionário insistiu. Eu acabei preferindo não arriscar (e graças a Deus ele insistiu). Farellones realmente quase não tinha neve, boa parte já havia derretido (formando lama, dado a mistura da água com a terra) e a pouca parte restante era aquele gelo duro, nada de neve macia (boneco nem pensar). Ou seja, na segunda quizena de Agosto pode já não ser uma boa época para Farellones.

Farellones
Farellones quase sem neve. Na foto vocês veem o skibunda que na temporada boa é feito na neve e agora estava sendo feito na água, um pouco de gelo e lama.

O passeio

No final das contas, aceitei a sugestão de combinar Valle Nevado e Farellones. Pensei “tanto fugi, tanto critiquei e olha só”. Mas foi a melhor coisa que eu poderia ter feito. Eu teria me frustrado muito se tivesse ido apenas Farellones. Em Valle Nevado, arranjei um cantinho para ficar brincando na neve. E a visão é esplêndida.

brincando na neve
Cantinho que arranjei para brincar em Valle Nevado

Valle Nevado
Tomando chocolate quente com essa linda vista branquinha

Chegando em Farellones brinquei na tirolesa apenas, nunca tinha feito antes. Fiquei um pouco chocada com o preço das atrações, achei que como a estação estava o bagaço da laranja eles poderiam ter baixado os preços né. Na real eu fiquei um pouco decepcionada, fora a falta de neve. Porque o ingresso lá é baratinho, mas cada atração aparentemente é paga a parte (e não é barato). Eu achava que era tipo parque de diversões, você paga uma tarifa e pode brincar em tudo.

Mas mesmo assim eu fiquei muito satisfeita com o passeio, de verdade. Eu só acabei passando tempo demais em Farellones sem ter o que fazer, apenas observando e aguardando para ir embora (imagine se eu tivesse ficado lá o dia todo, me mata de tédio né).

Enjoo

Eu não enjoei, estava tão cansada por ter acordado bem cedo que dormi na ida, mas teve gente do meu ônibus que vomitou. Eu até pensei em tomar remédio para enjoo, mas eles me dão muito sono (aparentemente Dramin B6 e Plasil dão menos sonolência). Quando o cara falou para irmos para Valle Nevado eu fiquei um pouco assustada e com medo de passar mal, porque seriam muito mais curvas medonhas, mas encarei numa boa.

Chile
A vista ao longo da viagem é incrível

Roupas

Quem acompanha o blog sabe que tudo o que eu precisava, eu arranjei emprestado aqui no Brasil. Eu diria que botas próprias pra neve com aquelas travas embaixo (para não cair) e impermeáveis (para não congelar os dedinhos) e meias grossas são fundamentais. Luvas impermeáveis também fazem a diferença para não congelar seus dedinhos. Teve uma hora que eu tirei a luva para sentir a neve de verdade e meus dedos ficaram roxos e dormentes, achei que ia perdê-los haha foi tão desesperador que eu pensei em cortar a mão p ver se o sangue quente jorrando aliviava o desconforto (oia as idéia).

As empresas que fazem transfer para as estações geralmente levam para locar roupas e equipamentos antes de subir as montanhas. Um casaco bom é fundamental também. Se você for friorenta como eu, coloque várias camadas de roupa. Eu estava com 2 casacos impermeáveis, uma blusa de lã e uma blusa térmica. Na parte de baixo: 1 calça térmica, 2 leggings normais, uma legging impermeável e jeans (a maioria das pessoas troca o jeans por aquelas calças impermeáveis e feias). Para ver o que usei, assista o vídeo. No início achei que a locomoção ia ficar ruim, mas acostumei muito rápido e foi muito bom porque aproveitei sem sentir nadinha de frio ou desconforto.

Uma dica que me deram e eu vou passar adiante, mesmo que pra mim acabou não sendo necessária: leve meias extras ou até muda de roupa extra. Se acontecer de você se molhar, você não vai querer descer da montanha molhado, você vai passar frio durante todo o trajeto e pode até se resfriar.

Eu tentei comprar protetor para as orelhas, vi resenhas de gente que ficou sem sentí-las por dia, mas não consegui comprar e também não senti falta. Acho que tive uma experiência tranquila com neve porque tive sorte, apesar da baixa temperatura, estava Sol e não ventava no dia.

Óculos escuro e protetor solar são acessórios a se considerar. Não esqueçam das aulas de física ótica: o branco da neve reflete todos os raios solares que incidem nela, você pode ser ofuscado ou se bronzear. E ah, hidratante labial se não quiser ficar com a boca bem rachada e ressecada.

Dica: muito cuidado ao caminhar sobre o asfalto coberto por neve, é pior que andar na neve pura. Pior que futebol de sabão. Escorrega demais da conta! Eu fiquei chocada como é escorregadio, quase caí sério diversas vezes. Quando o ônibus parou na estrada para colocar as correntes, eu desci pra ver… e nossa mãe, todo cuidado é pouco!

Informações gerais

Uma possível pegadinha é que o deslocamento entre uma estação e outra pode estar bem engarrafado e te fazer perder um bom tempo (especialmente nos fins de semana). De um modo geral, esse passeio pode ser bem engarrafado.

Me recomendaram não ir nas estações no final de semana com a justificativa de que é quando o povo de Santiago também vai e lota tudo. Não achei. Na verdade o povo do Chile mesmo faz uma parada mais econômica: sobem com as crianças até parte da montanha, sem nenhuma estação e deixam elas brincarem ali livremente na neve com os brinquedos trazidos de casa (no vídeo dá para observar umas pessoas ao fundo).

Tudo nas estações de ski é caro, desde aluguel de equipamentos (por isso as pessoas alugam antes) até alimentação. É comum as pessoas levarem seus próprios lanches. Foi exatamente o que eu fiz.

E por fim se você não sabe pra qual estação ir, um amigo meu me falou uma vez uma aproximação bem grosseira, mas bem útil que eu vou reproduzir “Farellones é pra criança, Valle Nevado é mais cara, mais turística e portanto mais cheia, El Colorado é intermediária.”. A melhor estação pra você depende do que você estiver procurando.

Vídeo desse passeio:

Veja também

Roteiro para Santiago, Viña Del Mar e Valparaíso Neste post eu vou falar sobre o que fazem em Santiago, Viña del Mar e Valparaíso. Vou fazer aquela resenha de sempre né, vou contar o que fiz e o que ...
Roteiro de 3 dias no Chile O Chile é um país que usufrui de bons indicadores sociais, é um dos países mais prósperos da América Latina e provavelmente o mais próspero da América...
5 coisas que eu faria em Santiago Esse post é pra você que vai pra Santiago e vai ficar tempo demais. Ou você que já visitou tudo, já conheceu tudo o que eu falei no outro post. Aqui v...