Roteiro de 5 dias em Roma – o que fazer

Ah Roma… A Cidade Eterna fundada entre 7 colinas, seus encantos são difíceis de descrever.

Eu fiquei perdidamente apaixonada por Roma. As ruínas da Roma antiga são belíssimas. Achei a iluminação noturna um espetáculo à parte. As noites de verão alegres, ruas cheias de vida e artistas de rua são impagáveis. Sem falar no gelato, nas histórias, na cultura e na beleza.

Roteiro em Resumo:

Dia 1: Chegada e Basílica de San Pietro in Vincoli
Dia 2: Vaticano + Castelo de San Ângelo +  Praças Navova e della Minerva
Dia 3: Praça di Spagna + Fontana di Trevi + Basílica de São Paulo Extramuros
Dia 4: Coliseu + Capitólio + Cárcere Mamertino
Dia 5: Fórum romano + Palatino

Roteiro em Detalhes:

Dia 1

Como todos os primeiros dias, não vi tanta coisa. Vi o Coliseu (não entrei) e é precisamente neste momento que você vai precisar de um beliscão para acreditar que está acordado. Visitei também a Basílica de San Pietro in Vincoli, sua fachada é simples, porém no interior tem a famosa estátua de Moisés feita por Michelangelo e também as correntes que aprisionaram São Pedro.

Dia 2

No dia 2 foi o dia de visitar o Vaticano. Fiz uma visita guiada em português e eu realmente recomendo que se visite o Vaticano com guia para tirar o máximo de proveito. Além de IMENSO, o Vaticano resguarda riquezas histórico-culturais de difícil acesso ao público leigo (como eu). Eu vi os Museus do Vaticano,  a capela Sistina que é absolutamente incrível.

A técnica de Michelangelo é surreal. Eu poderia jurar que algumas daquelas pinturas são esculturas por conta da profundidade e relevo aparente, o que eu não saberia sem a guia para poder perguntar. E também foi interessante a explicação dos conceitos por trás das pinturas, o encontro do novo e velho testamento e tudo o mais. Eu respeitei a proibição de tirar fotos, não tirei nenhuma sequer. Fiz minha parte colaborando para a manutenção dos afrescos. Além do mais, vi onde os bispos se reúnem para eleger o novo papa e como isso acontece. É muito cheio, em geral. Eu dei sorte de não pegar tão cheio assim e consegui parar alguns minutos e contemplar com calma.

praça de são pedro com basílica ao fundoPraça de São Pedro e Basílica

Depois visitei a Basílica de São Pedro. Como estava em tour guiado não enfrentei a fila gigantesca para entrar. Há restrições de vestimenta, nada de blusa cavada, pernas de fora e afins. A basílica é simplesmente esplêndida. É a maior do mundo e sob o altar jaz os restos mortais de São Pedro. Se tiver com disposição e não for claustrofóbico, subir a cúpula pode ser uma opção interessante. Saindo da Basílica, lá estava eu na Praça de São Pedro, lembrando das inúmeras vezes que a vi cheia de fiéis pela TV.

Seguimos para o Castelo de Santo Ângelo, construído pelo Imperador Adriano para servir de mausoléu para sua família. Além disso, ele já funcionou como prisão e fortaleza papal. Também existem ali luxuosos apartamentos papais. Dizem que há uma passagem que liga o castelo ao Vaticano a fim de facilitar uma eventual fuga do Papa. O castelo oferece também vista panorâmica para a cidade. No topo podemos ver a estátua do Arcanjo São Miguel, isto se deve, reza a lenda, a uma epidemia de peste que se abateu sobre roma e o Papa Gregório I afirmou ter visto o Arcanjo sobre o topo do castelo indicando o fim da epidemia.

castelo e pontePonte e Castelo

Depois atravessando a ornamentadíssima ponte Sant’Angêlo sobre o Rio Tibre, caminhamos até a Piazza Navona. Esta praça é rodeadas por bares e restaurantes, além de contar com fontes, tal como a Fontana de Neptuno e outras construções. Seguimos para o Panteão, seu estado de conservação impressiona tanto quanto pela engenharia romana, tendo em mente que ele tem pelo menos uns 1900 anos, sendo uma das construções mais antigas de Roma.

Continuamos em direção a Piazza della Minerva com o seu obelisco mais fofo, o Obelisco do Elefante. É possível visitar a rica Basílica de Santa Maria Sopra Minerva, simples por fora, mas cheia de obras de arte por dentro.

obelisco do elefanteElegi o Obelisco mais fofo do mundo

Dia 3

O dia 3 foi bem mais enxuto, começando com Piazza di Spagna e sua famosa escadaria até Trinità dei Monti. Visitamos também a bela Fontana di Trevi, que merece uma visita diurna e outra noturna. Vi também a antiguérrima Pirâmide de Céstio (próxima a estação de metrô Pirâmide).

Fomos a Basílica de São Paulo Extramuros, uma das quatro basílicas papais, onde está sepultado o apóstolo São Paulo. Sua história é interessante, diz-se que ele perseguia os Cristãos até que teve uma visão de Cristo e se converteu. Foi decapitado e suas correntes podem ser vistas em um relicário. O imperador Constantino mandou erguer a basílica (guarde essa informação), que só não apresenta maior grau de conservação graças a um incêndio ocorrido em 1823. Ela se chama extramuros ou fora dos muros porque o mesmo foi morto fora das muralhas que protegiam Roma. Na volta passamos pela Piazza della Repubblica que é próxima a estação Termini e a noite voltamos para a Fontana di Trevi.

são paulo extramurosBasílica de São Paulo Extramuros por fora

Dia 4

No dia 4 estivemos na Piazza del Popolo, praça grande com igrejas em volta, obelisco, fonte e tudo o que se há direito em Roma. Próximo tem o parque Villa Borghese, enorme, onde os habitantes locais passeiam. Depois paramos para caminhar aleatoriamente e fazer compras. Com o calor que fazia, uma loja com ar condicionado era sempre bem vinda. Mais pro final da tarde, finalmente entramos no Coliseu. Posteriormente fomos ao Capitólio, uma das sete colinas sobre as quais Roma foi construída. Por lá vimos a Basílica de Santa Maria in Aracoeli. Vimos o museu Capitolino depois e Cárcere Mamertino, prisão onde São Pedro esteve (e São Paulo também) antes de morrer, repare na cruz invertida em homenagem.

coliseu visto de fora

Coliseu por fora

coliseu

Coliseu por dentro

Dia 5

No dia 5 fomos conhecer o Fórum Romano (o centro da vida de Roma, onde tudo acontecia) e o Palatino que já no início do dia nos reservava um calor surreal. É bem grande, se prepare. Nesse passeio eu senti falta de um guia. Por mais que tivessem placas, fiquei com a sensação de que poderia ter sido uma visita mais enriquecedora e proveitosa. Eu me virei um pouco com esse guia aqui. Mas podendo dispor de um guia, aproveite. É apaixonante as ruínas da Roma antiga, cada pedrinha, cada coluna, o que sobrou de cada templo…

forum-romano

Vista de parte do Fórum Romano

Se o Fórum Romano por um lado era o centro da vida econômica, política, enfim vida pública de um modo geral. O Palatino é conhecido por ser o berço de Roma, onde, segundo a lenda de Rômulo e Remo, vivia a loba que alimentou os “irmãos fundadores” de Roma. No monte Palatino, famílias abastadas construíram seus palácios. Infelizmente não pude visitar o museu de entrada gratuita pois o mesmo estava em manutenção.

Muito sobre visitar Roma está relacionado também a imaginação. Tente imaginar como era a vida dos presos no Cárcere Mamertino, os espetáculos no Coliseu, como viviam os romanos e como construíam com as ferramentas e tecnologias que dispunham na época. Pense por quanto tempo todas essas construções sobreviveram. Leve tudo isso em consideração e se impressione.

Pra finalizar essa viagem, saímos do Palatino e fomos para a Bocca della Verità que é uma escultura famosa cuja lenda diz que morde a mão dos mentirosos. Em frente observamos o Tempio di Ercole Vincitore que é o templo mais antigo em mármore de Roma, seu estado de conservação impressiona.

teatro di Marcelloteatro di Marcello

Fomos ver a Area Sacra Sant’Omobono, sítio arqueológico descoberto só em 1937. Vimos também a Basílica de San Nicola in Carcere e o Teatro di Marcello, tipicamente romano. Demos uma volta pelo Ghetto, um bairro historicamente judaico e encerramos no Campo de’ Fiori.

20170808_191117-01O sítio arqueológico




Veja também

Itália – Roteiro de 13 dias e 8 cidades Embora um país pequeno, há muito para se ver na Itália. Neste artigo trago resumidamente meu roteiro de 13 dias na Itália, mostrando as cidades pelas ...
O que fazer em Veneza – Roteiro de 3 dias Veneza foi a cidade que eu mais gostei de ter conhecido em toda essa viagem. É mesmo uma cidade muito especial. Eu estava previamente ciente qu...
Roteiro de Pit Stop em Verona – o que fazer No caminho de Milão para Veneza é possível desembarcar do trem, deixar as bagagens na estação e ir conhecer a cidade de Verona. Mas o que há para ver ...